Sou do mundo, sou de Minas

Conheça Minas e se encante! 

Minas Gerais é um estado único, alia cultura, história, tradição e muita natureza.

A mesa mineira, “onde sempre cabe mais um”, é a maior marca da hospitalidade do povo do Estado. O jeitinho mineiro acolhe os mais diferentes paladares, gostos, interesses e desejos: do turista aventureiro ao relaxado, de crianças à terceira idade, do rural ao urbano. Para isso, não basta apenas ouvir falar, ler ou se informar. É preciso experimentar e saborear.

Minas reúne o mais importante acervo arquitetônico e artístico do período colonial brasileiro, preservado em cidades de fama internacional como Ouro Preto, Diamantina e Congonhas do Campo, ricas pela profusão de obras-primas do estilo Barroco, nas quais se destacam os trabalhos de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e Mestre Athaíde. As cidades centenárias narram a grandiosidade da história do Brasil. Minas também é um imenso palco de manifestações artísticas, exportadas nacional e internacionalmente.

Em Minas você encontrará destinos ideais para relaxar e cuidar do corpo e da mente. Muito mais que uma simples viagem turística, é estabelecer uma vivência com a natureza mineira, onde o simples se torna o essencial.

As águas do Sul de Minas são famosas pelos poderes medicinais. Araxá, Poços de Caldas, São Lourenço, Caxambu e Cambuquira são destinos perfeitos para aqueles que buscam bem estar.

Para quem gosta de aventura, as opções são inúmeras. Voar de parapente sobre a Serra da Moeda é um misto de adrenalina e liberdade. Na Serra do Cipó, os aventureiros podem aproveitar das mais variadas atividades, como trekking, canoagem e rapel. Passeios de balão colorem o céu de Sete Lagoas.

No turismo rural, algumas regiões se destacam pelas belas paisagens e o ritmo tranquilo. As fazendas e os pequenos municípios ainda conservam características da arquitetura colonial urbana, com pequenas casas, ruas calçadas, muros de pedra e centros históricos preservados.

Mas Minas é muito mais. Impossível descrever em poucas palavras a diversidade que o estado apresenta. A gastronomia, o povo mineiro,

a cultura e a típica hospitalidade mineira vão te encantar e te conquistar.

Venha conhecer o nosso estado!

MINEIRÊS

O sotaque mineiro é conhecido por todo Brasil.

É ‘abrir a boca’ em qualquer região do país que alguém pergunta se a pessoa é de Minas Gerais. O famoso mineirês já inspirou muita gente, escritores, blogueiros, autores de novelas, dentre outros. Existe até um guia que explica o significado de algumas expressões do mineiro. Além de diferentes palavras, o mineiro também utiliza muito o diminutivo. Quem nunca escutou um ‘cafézin’, ‘rapidin,’docin’? E não podemos esquecer a famosa junção de palavras, ‘Sápassado’, ‘Lidileite’, ‘Denduforno’, dentre outras que precisam de uma atenção maior para compreender.

Entre variações do sotaque em diferentes municípios, existem algumas expressões que não são conhecidas em outros estados, como por exemplo ‘arreda’, um singelo jeito de falar para a pessoa afastar, chegar um pouco para o lado. Sem falar nas pequenas expressões tais como ‘nó, ni, nu’. Elas não remetem ao que se lê, e variam dependendo da situação que é utilizada. Na verdade, seria a diminuição da expressão “Nossa Senhora do Perpétuo Socorro’, ou de qualquer outra santa que comece com Nossa Senhora.

Depois dessa breve explicação sobre um dos sotaques mais conhecidos do Brasil, seguem algumas palavras do dicionário mineiro.

- ‘Não inventa moda’: agir diferente, mudar de opinião sem explicações.

- ‘Pó pô pó?’: pode colocar o pó de café?

- ‘Desgrama’: xingamento, desgraçado.

- ‘Êta ferro’: algo complicado, se dar mal.

- ‘Arreda’: afastar para o outro lado.

- ‘Espia’: veja, olha aqui.

- ‘Trem’: qualquer coisa que a pessoa não lembrou o nome.

- ‘Vou ter um troço’: vai ter uma decepção, um problema.

- ‘Óprocêvê’: Olha pra você ver.

- ‘É messs?’: É mesmo?

- ‘Onquié?’: Onde que é?

- ‘Doidimais’: Doido demais, muito legal.

- ‘Matula’: Marmita.

- ‘Uai’: Por que? Indignação. É válido para todo início e final de frase.

- Núuu! Expressão de admiração

São inúmeras as expressões desse sotaque tão apaixonante. Só memso marcando uma viagem para Minas para conhecer e entender os mineiros. E a satisfação é garantida, pois como diz a música dos cantores Tonico e Tinoco: ‘Oooh Minas Gerais, quem te conhece não esquece jamais...ooh Minas Gerais’.

Fonte: Guia Turismo de Minas

UM DIA EM BELO HORIZONTE

Final de semana, aproveitar para acordar tarde? Nada disso. Para quem quer curtir um dia cheio de natureza, saúde, cultura e principalmente a deliciosa gastronomia mineira, bora levantar cedo ‘uai’, a vida é curta e tem muito ‘trem’ bonito para ver!

Para começar o dia bem saudável, depois de um café caseiro e pão de queijo, o destino é uma caminhada na famosa Praça do Papa, meia horinha é o suficiente para você queimar as calorias do café da manhã e também para apreciar as belas casas, árvores e montanhas ao redor da praça. Cansou? Então compra uma água de coco e caminhe mais um pouco até o Mirante das Mangabeiras, a garantia é de uma vista inesquecível de toda Belo Horizonte.

Bom, depois de toda essa manhã de caminhadas e de colírio para os olhos, a barriga já roncou para o almoço, então a próxima parada é o Mercado Central, lá você poderá além de fazer umas comprinhas de lembranças mineiras, especiarias, doces, o almoço tradição será um delicioso fígado acebolado com jiló...humm deu água na boca? Peça uma pinga de Minas para abrir o apetite e aguarde o prato que o ‘trem é bom demais’. E de sobremesa, aproveite para comer os doces de frutas em compotas ou cristalizadas que são vendidos em várias lojinhas do mercado.

De barriga cheia, hora de conhecer e passear por alguns pontos turísticos da capital mineira. Comece pelo complexo arquitetônico da Pampulha, projetado por Oscar Niemeyer. No entorno da Lagoa da Pampulha é possível fazer um tour cultural pelo Museu da Arte, visitar a Casa do Baile, o Iate tênis Clube que remete a um barco que se lança nas águas da lagoa e finalmente a obra prima do conjunto, a Igreja São Francisco de Assis, mais conhecida como Igrejinha. Um passeio e tanto não?

O dia já está quase terminando, o sol já se pôs e a fome está batendo de novo? A dica é procurar algum restaurante que sirva um delicioso frango com quiabo, ou um tropeiro caprichado, acompanhado de uma geladíssima cerveja artesanal. Esse é um dia perfeito em BH, com direito a curtir uma pequena parte do que essa cidade tem a oferecer.

Gostou? E fique tranquilo que aqui é tudo ‘pertin’.

MINAS NÃO TEM MAR, MAS TEM BAR

O título remete a uma frase muito utilizada pelos mineiros, uma brincadeira que em parte é verdade. Minas é um Estado que tem muitos bares e onde tudo é motivo para ir curtir uma cachacinha, uma cerveja gelada e um petisco mineiro. Belo Horizonte é conhecida como a ‘capital dos botecos’, apelido mais do que apropriado. Dizem por aí que a cidade tem em média quatro botecos por quarteirão, que variam desde os mais tradicionais, até os mais modernos, descolados e alternativos. O bom atendimento e pratos com nomes engraçados chamam a atenção da clientela.

A disputa é grande e durante a semana inteira a maioria dos bares fica lotada de ‘cervejeiros e petisqueiros’, e vários deles detém um público cativo. A fama do tira-gosto mineiro resultou na realização de festivais de culinária típica de botecos. O evento ultrapassou fronteiras e hoje é realizado em várias cidades do interior e em outros estados.

Nos botecos de Minas Gerais você pode encontrar uma profusão de cheiros e sabores. Quando vier até aqui, não deixe de visitar um desses estabelecimentos, tão “a cara” de Minas. Para facilitar o seu pedido, seguem algumas dicas de petiscos que você não pode deixar de experimentar:

- Costelinha de porco, coberta por ora-pro-nóbis, acompanhada com angu misturado com queijo do Serro.

- Rabada com batata

- Porção de torresmo de barriga

- Moela acebolada

- Fígado com jiló

- Bolinho de mandioca com calabresa e catupiri

- Caldo de feijão de corda, com carne seca e cachaça

- Canjiquinha com costelinha de porco

- Carne na cerveja artesanal preta

- Caviar da roça (chouriço)

- Costela de boi sem osso com mandioca frita

- Dobradinha com polenta

- Galopé

Gostou? Tem isso e muito mais para você se deliciar em Minas. Cada região tem a sua especialidade. Uma dica é sempre pedir o petisco da casa, pois nele você experimentará o mais típico sabor do lugar visitado. E, só de ser comida mineira a possibilidade de ser ‘bom demais’ é grande.

We use cookies to improve our website. By continuing to use this website, you are giving consent to cookies being used. More details…